Pesquisar Produto / Empresa:
Histórico da Cidade
Datas Históricas
Dados Estatísticos
Brasão de Armas e Bandeiras
Prefeitos Municipais
Hinos
As Ruas de São Caetano
Os Bairros de São Caetano
Poder Executivo
Poder Legislativo
Poder Judiciário
Diretorias, Autarquias e Fundações
Governo Itinerante
IPASM
Contas Públicas
Desenvolvimento Econômico
Saúde
Habitação
Esporte
Cultura
Educação
Infra-Estrutura

Primórdios

A historia de São Caetano do Sul se prende estritamente a de Santo André, do mesmo modo que a deste se prende a da Capital de São Paulo. - se João Ramalho, Capitão Mór do Campo de Piratininga. Não foi feliz, no início, Oficializado o povoado de Santo André da Borda do Campo por Martim Afonso de Souza, elegeu o núcleo aí fundado, pois era constantemente atacado pelos índios e o clima era muito frio, sendo mudado para junto do Pátio do Colégio de São Paulo.

Quanto ás terras que viriam a formar o Município de São Caetano do Sul, constituíam com São Bernardo do Campo, a Vila de Santo André da Borda do Campo, cuja extinção foi decretada por Mem de Sá, em 1560.

Fazenda São Caetano

Passaram-se muitos anos até que os frades Beneditinos radicados no Brasil, já há algum tempo, fundassem a fazenda de São Caetano, nas terras de Tijucuçú. A partir de 1631, surgem na história da cidade duas figuras que participam na formação patrimonial de São Caetano: O Capitão Duarte Machado e sua esposa doaram à Ordem de São Bento, em São Paulo, as terras de Tijucuçú. O Bandeirante, Fernão Dias Paes Leme, em 1671, doou 500 braças de terra aos Beneditinos, enriquecendo o referido patrimônio. Forma-se assim, a Fazenda São Caetano, cuja denominação é uma homenagem ao Santo da Divina Providência, muito cultuado pela Ordem.

Até 1764, os frades administraram a fazenda, na qual construíram o marco da futura cidade e erigiram uma pequena Capela tosca. Mais tarde, com a chegada dos imigrantes italianos, em 1877, veio dar origem à Igreja São Caetano. A partir daí, porém, Portugal ficou sob o jugo do Marquês de Pombal e as atividades dos Beneditinos foram proibidas e as terras abandonadas aos poucos.

Colonização

Com a retirada dos frades, o mato cobriu o marco da fé cristã, junto a atual Matriz Velha. As primeiras atividades econômicas na região de São Caetano datam de meados do século XVII, quando os Beneditinos iniciaram culturas e edificaram uma olaria.

Somente em 1868, recomeça a verdadeira luta de São Caetano pelo progresso, com a inauguração da estrada de ferro inglesa São Paulo - Railway Company. Dez anos após, o Governo Imperial adquiriu as terras de São Caetano para instalar um Núcleo Colonial, visando incentivar a imigração, e com isso, minorar os efeitos da evasão da mão de obra agrícola. Em 1876, estabeleceram-se os primeiros núcleos agrícolas para imigrantes: dois centros são criados, mas, o da Fazenda São Caetano é o primeiro a ter inauguração efetiva, a 28 de janeiro de 1877.

Como medida preliminar, a 29 de junho de 1877, saem da Itália, com destino ao Brasil, algumas famílias de imigrantes embarcadas no porto de Gênova, pelo vapor Europa. O primeiro grupo de italianos, integrado por 28 famílias, chegava a 28 de julho, ao Núcleo Colonial, que foi instalado com a presença do Dr. Sebastião José Pereira, Presidente da Província e do engenheiro Leopoldo José da Silva, da Comissão de Terras e Colonização.

Faziam parte da primeira leva, oriundos da Província de Treviso, na Itália, os seguintes chefes de família: Antonio Gallo, Antonio Martorelli, Antonio Garbelotto, Caetano Garbelotti, Celeste Pantallo, Domenico Bottan, Domenico Perin, Eliseo Leoni, Emílio Rossi, Francesco Bortolini, Francesco Fiorotti, Francesco de Martini, Felippe Roveri, Giácomo Dalcin, Giovanni Moretti, Giuseppe de Savi, Giuseppe Salla, Luigi D'Agostini, Modesto Castelotti, Natale Furlan, Pietro Pessotti, Paolo Martorelli, Pasquale Cavana e Thomaso Thomé.

Seis meses depois, chegava uma segunda leva de imigrantes, oriundos da Província de Mântua, com os seguintes chefes de família: Luigi Baraldi, Francesco Coppini, Isacco Coppini, Francesco Carnevalle, Francesco Ferrari, Modello Dionisío, Genaro Luciani, Giovanni Vicentini, Francesco Modesto, Eugênio Modesto e Domenico Vicentini.

O trabalho agrícola predominou nos primeiros anos, sobressaindo-se a cultura de videiras, cujos frutos davam excelentes vinhos. Posteriormente, despertou o interesse pela exploração das terras argilosas, resultado daí o aparecimento de diversas olarias, e depois o aparecimento da indústria de cerâmica.

Depoimento importante, que enriqueceu o documentário local, foi concedido ao Jornal de São Caetano, em 25 de julho de 1948, por José Thomé, filho de Tomaso Thomé, integrante desse grupo de imigrantes: "Quando aqui chegamos, o trem parou diante do lugar onde hoje se instala o alojamento de conserva da estrada de ferro. Tudo era mato ao redor, havendo apenas uma "picada" que, da estação, conduzia até a igreja. Caminhamos por ela para encontrar, afinal, uns casebres à volta do templo. Tudo o que era São Caetano, então".

De julho a dezembro de 1877, o engenheiro chefe da colônia, Leopoldo da Silva, coadjuvado por Emílio Rossi, providenciou a instalação das referidas famílias, o envio de ferramentas agrícolas e as folhas de indenização aos imigrantes, pois cabia ao Governo Imperial cobrir essas despesas.

As condições da Colônia, contudo, não atendia as esperanças dos recém chegados, tendo estes manifestado mesmo o propósito de retirada. Ao voltar de sua dirigiu-se à Fazenda São Caetano, desembarcando no mesmo local em que o fizeram os colonos e visitou o alojamento instalado ao lado da capela. Tal atitude contribuiu, decisivamente, para fortalecer o espírito dos imigrantes que viriam a escrever uma das mais belas páginas da colonização do Brasil.

São Caetano progride com rapidez, e em 1886, já era um dos grandes centros produtores da província de São Paulo. A história político-administrativa de São Caetano acompanhou em parte seu desenvolvimento econômico. Em 1901, seu território, que até então pertencia ao Município de São Paulo, foi anexado ao recém criado Município de São Bernardo do Campo.

Em 1905, São Caetano era elevado a Distrito Fiscal. A fixação das primeiras indústrias coincidiu com a sua elevação a Distrito de Paz, em 1916.

Em 1924, o Arcebispo de São Paulo, Dom Duarte Leopoldo e Silva, dava ao núcleo a sua primeira Paróquia e seu primeiro Vigário que foi o Padre José Tondin.

A vila transformava-se em cidade. A indústria Pamplona, foi a primeira fábrica instalada, vindo a seguir a fábrica de Formicida Paulista, de Serafim Constantino. A primeira sociedade de caráter social e filantrópico, foi a Sociedade Beneficente "Principi di Napoli", fundada em 1891 e a segunda foi a União Operária de São Caetano".

Data de 1928 a primeira campanha em prol da Autonomia da cidade, sendo nessa ocasião, frustrado o movimento. Quanto Santo André substituiu São Bernardo do Campo com sede do Município, em 1938, São Caetano passou a se constituir em segunda zona do Distrito, para em 1944, ficar reduzido a segundo Sub-Distrito de Santo André, enquanto São Bernardo constituia-se em município autônomo.

A estrada de ferro inglesa São Paulo - Railway Company, depois Estrada de Ferro Santos - Jundiaí e hoje Rede Ferroviária Federal, assumiu papel significativo no transporte diário dos imigrantes italianos que se instalaram próximos a seus trilhos, e sobretudo, no estabelecimento das indústrias que procuravam alinhar-se perto da ferrovia, com intuito de facilitar o transporte de suas mercadorias e matéria prima.

Situado entre a Capital e o porto de Santos, principal núcleo de exportações do país, São Caetano ocupava posição estratégica favorável, primeiro como escoadouro de café em período áureo, e mais tarde, como centro industrial.

A indústria da cidade encontrou no núcleo de imigrantes italianos e seus descendentes a primeira fonte de mão de obra adequada ás suas necessidades. Mais tarde, as Vilas Operárias que se formavam em torno das indústrias estabelecidas na área suburbana de São Caetano, atraiam os primeiros contingentes nordestinos.